Blog

HomeSem categoriaCoenzima Q10: a suplementação pode ir além do que se imagina

Coenzima Q10: a suplementação pode ir além do que se imagina

Nos últimos anos, muito tem se discutido sobre a capacidade da Coenzima Q10 em proporcionar energia. Mas os estudos mais recentes têm demonstrado que os benefícios da Q10 vão muito além!

A seguir apesentamos evidências da correlação entre o déficit da Q10 e diversas patologias. Continue a leitura para entender melhor.

Mais do que energia: saúde!

Com sua atuação nas organelas celulares, mais precisamente nas mitocôndrias, a Coenzima Q10 destaca-se pela sua função de doadora de elétrons na síntese de ADP/ATP, ou seja, atua diretamente na produção de energia para as células e órgãos vitais.

Mas a Coenzima Q10 faz muito mais! Ela atua também como um importante antioxidante, preservando a integridade das membranas celulares e auxiliando na prevenção de aterosclerose4 e outras doenças cardiovasculares5,6 através da redução da peroxidação das lipoproteínas.

O déficit da CoEQ10 está relacionado a diversas patologias7,8, e os benefícios da suplementação foi amplamente estudado, não se limitando a:

• Pacientes com dislipidemias e doenças metabólicas associadas9

• Mal de Parkinson10,11,12

• Diabetes Mellitus 25,29

• Hipertensão Arterial 13,14,15,16,17,18

• Obesidade e Regulação do perfil lipídico19,20, 21

Nosso corpo possui a capacidade de produzir a Coenzima Q10, porém, em quantidade insuficiente para obtenção de seus máximos benefícios. Além disso, a partir dos 30 anos essa produção começa a diminuir de forma contínua ao longo da vida.

O que Coenzima Q10 e faz pela saúde do Coração

Uma Metanálise publicada em 2017, constatou que a suplementação com a CoEQ10 ajudou a reduzir a mortalidade de pacientes com doença cardiovascular.

Este estudo também apontou uma grande melhora na capacidade dos pacientes de realizar atividades físicas, fato atribuído à capacidade de gerar energia.1

Já um outro estudo, realizado com 101 pacientes cardiopatas, demonstrou que após 24 semanas de suplementação com 120 mg de CoEQ10, os pacientes apresentaram melhora no perfil lipídico e glicêmico, além de uma discreta redução na pressão arterial.2

A Coenzima Q10 também se mostrou eficaz na redução da severidade de cardiopatias. Neste estudo a Q10 contribuiu para a redução do stress oxidativo nas células do miocárdio, comprovando sua atuação na geração de energia das células cardíacas.

Além disso proporcionou a melhora da função cardíaca, da função endotelial, preveniu a oxidação das lipoproteínas e aumentou a força de contração do miocárdio.

Uma outra metanálise, totalizando mais de 1000 pacientes também demonstrou que a suplementação com a Q10 pode reduzir de forma significativa os níveis de triglicérides e melhorar o perfil lipídico de pacientes com distúrbios metabólicos.3

Entenda a biossíntese da Coenzima Q10 e os medicamentos para Colesterol (Estatinas).

A relação entre o colesterol ruim e as doenças arteriais coronarianas (DAC) já estão comprovadas por diversos estudos.

Desde a década de 80 os cientistas já vêm desenvolvendo medicamentos para reduzir os níveis de colesterol e a incidência de doenças cardiovasculares, assim como de mortalidade. Portanto, hoje existem robustas evidências de que as estatinas são eficazes no controle do colesterol e na redução da mortalidade.

Mas, conforme relatado em diversos estudos clínicos, alguns pacientes podem sofrer efeitos colaterais, dentre eles a dor muscular e miopatia.

Algo animador é o que mostra uma pesquisa recente, que associou o uso da coenzima Q10 à diminuição da miopatia em pacientes medicados com estatinas.

Este estudo procurou analisar os efeitos da CoQ10 na diminuição da dor, desgaste, câimbra e fraqueza musculares. O levantamento de metanálise revisitou 12 artigos e estudos lançados entre 2007 e 2017 sobre a coenzima Q10 e os resultados foram publicados no final de outubro no periódico Journal of the American Heart Association.

Foi demonstrado que a suplementação com a Coenzima Q10 amenizou em até 54% os efeitos colaterais das estatinas.

Uma provável explicação para essa relação é que a Q10 possui a mesma via de síntese que o colesterol, sendo assim, as estatinas que atuam diretamente no bloqueio da síntese do colesterol, também inibem a síntese da Coenzima Q10, conforme a ilustração a seguir5:

São resultados animadores e vantajosos para nossa saúde!

  1. Lei L, Liu Y. Efficacy of coenzyme Q10 in patients with cardiac failure: a meta-analysis of clinical trials. BMC Cardiovasc Disord. 2017 Jul 24;17(1):196. doi: 10.1186/s12872-017-0628-9. PMID: 28738783; PMCID: PMC5525208.
  2. Zhang P, Yang C, Guo H, Wang J, Lin S, Li H, Yang Y, Ling W. Treatment of coenzyme Q10 for 24 weeks improves lipid and glycemic profile in dyslipidemic individuals. J Clin Lipidol. 2018 Mar-Apr;12(2):417-427.e5. doi: 10.1016/j.jacl.2017.12.006. Epub 2017 Dec 21. PMID: 29454678.
  3. Sharifi N, Tabrizi R, Moosazadeh M, Mirhosseini N, Lankarani KB, Akbari M, Chamani M, Kolahdooz F, Asemi Z. The Effects of Coenzyme Q10 Supplementation on Lipid Profiles Among Patients with Metabolic Diseases: A Systematic Review and Meta-analysis of Randomized Controlled Trials. Curr Pharm Des. 2018;24(23):2729-2742. doi: 10.2174/1381612824666180406104516. PMID: 29623830.
  4. Journal of the American Heart Association. Effects of Coenzyme Q10 on Statin-Induced Myopathy: An Updated Meta-Analysis of Randomized Controlled Trials J Am Heart Assoc 2018 Oct 02;7(19)e009835, H Qu, M Guo, H Chai, WT Wang, ZY Gao, DZ Shi
  5. Adaptado de Bentinger et al., 2010

Post a Comment